Sobre os noivos

Ao som de Luis Gonzaga começa nossa história

Imagem Sobre

Não é segredo para ninguém a importância da dança na nossa história. Nos conhecemos em uma noite de sexta, ao som de Luiz Gonzaga e do ritmo que ele eternizou: o forró. Venha conhecer um pouco da nossa caminhada! 

 

Versão do noivo

Forró nunca foi meu ritmo preferido, sempre fui o cara do rock. Mas, por insistência do meu amigo e irmão Matheus, que bravamente se propôs a me ensinar a dançar, fui tomando gosto pelo som. Aos poucos, a melodia da sanfona, a marcação do triangulo e o ritmo compassado da zabumba me trouxeram novas cores, até então desconhecidas por mim.

Em uma bela noite, por um acaso do destino, resolvi sair de última hora com o Tiago, um colega forrozeiro do Solida Forró (projeto capitaneado pelo Matheus, que se propõe a ensinar o ritmo imortalizado por Luiz Gonzaga). Fomos para o FlashBack, casa tradicional de forró em BH.

Logo ao entrar, vi aquela menina linda encostada no balcão. Fico aqui tentando lembrar as coisas que se passaram na minha cabeça naquele momento. Digo isso porque sempre fui muito tímido, sempre pensei duas ou três vezes antes de tomar qualquer decisão. Mas, naquele momento não hesitei.

Ainda com a casa vazia, tirei aquela menina de cara séria para dançar. Começamos a rodopiar por aquele salão. Ela era timída e leve de se conduzir. Dançamos incontáveis músicas naquela noite, mas, no fim das contas, ficamos só na dança mesmo. Trocamos telefones, e-mail e começamos a conversar.

Depois de alguns forrós, meses depois, após trocas de mensagens e várias danças, nos beijamos pela primeira vez. A partir daí o namoro não demorou a engatar. Apesar de ter um pedido negado num primeiro momento (você sabe do que eu to falando né, Preta?!), nosso namoro se iniciou em uma noite estrelada de setembro (mais precisamente no dia 13), em um dos templos do ritmo em BH, o Forró do Recanto, localizando em Santa Tereza. 

O resto amigos é parte de uma história deliciosa, com seus tropeços, mas que culmina nesse momento lindo que estamos para viver em breve.

 

Versão da noiva

Coincidência ou pura obra do destino, o forró também não era o meu ritmo preferido. Aliás, essa é uma dança que insistia em dizer que não gostava. Isso durou até eu pisar pela primeira vez em uma casa de forró e ficar completamente apaixonada pelo mundo da sanfona, do triangulo e da zabumba. A partir daí o ritmo passou a fazer parte dos meus finais de semana, e o FlashBack um encontro marcado de todas as sextas, com as BAT amigas do forró! Assim, não demorou muito para que, numa dessas noites, eu conhecesse o Rodrigo.

Tínhamos acabado de chegar no FlashBack e um menino tímido me convidou para dançar. Aceitei o convite e acabamos por dançar a noite toda!! Dançamos muito, várias músicas seguidas! Quando a casa já estava perto de fechar, fomos embora e ele pegou meu telefone.

No dia seguinte, logo cedo, ele me mandou uma mensagem. Daí em diante, passamos a conversar diariamente pelo MSN – sim, somos dessa época. Com o avançar das semanas, o Rodrigo começou a ligar todas as noites para contar sobre o seu dia e conversar sobre assuntos aleatórios. 

Fomos em vários forrós juntos e, como no início não queria nada com ele (ou pelo menos achava que não), ficávamos apenas na dança. Até que, depois de três meses, nos beijamos pela primeira vez. Uma semana depois, o Rodrigo me pediu em namoro. Não aceitei de cara o pedido (tinha acabado de conhecer o menino... rs), mas não paramos de conversar e nos encontrar. Na noite de 13 de setembro, aceitei o novo pedido e, enfim, começamos a namorar. Hoje, aqui estamos, quase completando nove anos juntos.

Quem acompanhou nossa história sabe que esses anos não foram fáceis. Tivemos algumas idas e vindas, brigamos bastante e enfrentamos diversos problemas; mas, também vivemos incontáveis momentos bons, compartilhamos muitas conquistas e amadurecemos juntos. E, com a benção e a graça de Deus, iremos, em breve, viver nosso “Felizes para sempre”!